Bem-vindo (a) ! Hoje é

728x90 AdSpace

Procurar no site. Empresas, classificados, hotéis, pousadas, pessoas e notícias.

sábado, 14 de janeiro de 2017

Relatório da PF diz que Cunha e Geddel discutiram repasse ao PSC a pedido de Pastor Everaldo

Relatório da Polícia Federal (PF) que embasou a Operação Cui Bono – deflagrada nesta sexta-feira (13) em três estados e no Distrito Federal –, registra trocas de mensagens entre o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) nas quais eles discutem “repasses” para o Partido Social Cristão (PSC) a pedido do presidente da legenda, Pastor Everaldo. Segundo a PF, as mensagens foram trocadas entre os peemedebistas em 2012.
A ação da PF nesta sexta buscou provas de um esquema de fraudes na liberação de créditos junto à Caixa Econômica entre 2011 e 2013. Geddel foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa no período investigado pela PF. À época, Eduardo Cunha era líder do PMDB na Câmara.
PF investiga Geddel em esquema de liberação de verba da Caixa
Em nota, o PSC afirmou que todas as doações feitas ao partido "obedecem à legislação eleitoral vigente e são devidamente informadas à Justiça Eleitoral por meio das prestações de contas".
 (leia a íntegra do comunicado ao final desta reportagem).
As mensagens foram identificadas em um celular de Cunha apreendido em dezembro de 2015 pela Operação Catilinárias, que cumpriu mandados de busca e apreensão na residência oficial da Câmara na época em que o peemedebista ainda comandava a casa legislativa.
Em uma das mensagens, trocada no dia 11 de setembro de 2012, Eduardo Cunha e Geddel, ao se referirem ao PSC, dizem que estão sendo perturbados por recursos. No diálogo, o deputado cassado pergunta "algo p psc" (veja a imagem abaixo).
Reprodução de mensagem trocada entre Eduardo Cunha e Geddel Vieira Lima (Foto: Reprodução / PF)Reprodução de mensagem trocada entre Eduardo Cunha e Geddel Vieira Lima (Foto: Reprodução / PF)
Reprodução de mensagem trocada entre Eduardo Cunha e Geddel Vieira Lima (Foto: Reprodução / PF)
Em uma mensagem anterior, trocada em 17 de agosto de 2012, Geddel diz para Eduardo Cunha "Caso Dinamica de Everaldo resolvido". Não há registro de resposta de Cunha.
No relatório, os peritos da PF afirmam que, "ao que tudo indica", essa empresa seria a Dinâmica Segurança Patrimonial. Ainde de acordo com os policiais, o sócio-administrador desta empresa é Edson da Silva Torres, identificado pela PF como sócio do Pastor Everaldo.
Os policiais federais observam que o presidente nacional do PSC – candidato derrotado à Presidência nas eleições de 2014 – “é pública e notoriamente ligado política e religiosamente” a Eduardo Cunha.
"Embora não haja outras mensagens que confirmem se tratar diretamente desse caso da "Dinâmica", chamou a atenção outros diálogos envolvendo o Partido Social Cristão, já que em outra conversa, do dia 11/09/2012, Eduardo Cunha questiona Geddel sobre 'algo p psc?', pois, 'tão me perturbando', no que Geddel também informa que estariam perturbando ele também", escreveram os peritos da PF no relatório.
Os policiais relatam que "não se identificou corretamente qual seria a motivação desse aparente repasse ao PSC".
“Tendo em vista o modo de operar da dupla Geddel e Eduardo Cunha, espera-se aprofundar sobre esse assunto da Dinâmica e os repasses de valores ao Partido Social Cristão”, ressalta a PF.

Mensagens com Everaldo

As mensagens do celular de Eduardo Cunha também registram diálogos com o próprio Pastor Everaldo.
"Quero te dizer que tô muito mal com meu pessoal”, escreve Pastor Everaldo a Cunha, em 11 de setembro de 2012.
“Não eh só bahia Sp Tb Desculpe me Mas .....”, diz o dirigente do PSC em uma mensagem posterior.
A PF diz que na mesma data Geddel questionou Cunha sobre algum repasse da J&F, empresa que teria recebido empréstimos da Caixa mediante pagamento de propina aos dois políticos, conforme as investigações.
O relatório conclui que Geddel teria “autonomia” e “importância” na gestão dos repasses para o PSC, registrando trocas de mensagens em que combinam datas e valores.
Leia a íntegra da nota divulgada pelo PSC:
NOTA À IMPRENSA
• O Partido Social Cristão informa não ter tido acesso a nenhuma informação referente à Operação Cui Bono, realizada hoje (13/01) pela Polícia Federal;

• Todas as doações feitas ao PSC obedecem à legislação eleitoral vigente e são devidamente informadas à Justiça Eleitoral por meio das prestações de contas.

Desenhador por

Adailton Santana.

Agencia UAUNET: Temas UAU

  • Comente com seu blog
  • Comente com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Regras do site
Não serão aceitos comentários que:
1. Excedam 500 caracteres com espaço;
2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;
4. Não tenham relação com a nota publicada pelo site.
Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.

Item Reviewed: Relatório da PF diz que Cunha e Geddel discutiram repasse ao PSC a pedido de Pastor Everaldo Rating: 5 Reviewed By: Adailton Santana